DISTÂNCIA (OU MORTE)

Posted: quinta-feira, 5 de novembro de 2009






Como essa distancia enfraquece a retina
Como essa distancia fortalece
Vontade de nos amarmos
Amar cada camada de tua derme
sem você dar conta
Que o tempo envelhece
A tua alma engrandece
E a minha também
Pois somos além
Da linha invisível
Tão frágil

Como essa distancia padece
No imaginário tão volátil
com qualquer chegada
Do frio ou do fogo
No peito estremece
Escondido
um sorriso





cintia thome









.

3 comentários:

  1. Hneto 5 de novembro de 2009 09:48

    Importante não confundir distância com distanciamento, esta última é muito mais dolorosa.

  2. Joe_Brazuca 6 de novembro de 2009 13:23

    essas linhas invisíveis...

    de prima, Cintia !

    um beijo

  3. Priscila Lopes 7 de dezembro de 2009 09:56

    muito bom,
    um frenesi no leitor.

BlogBlogs.Com.Br