espelho

Posted: sábado, 10 de abril de 2010


ESPELHO


Bem distante bem distante
No traço do arco íris
a íris da menina
Que ainda espelha tua cara
Esses olhos
em cores, muitas cores

Bem distante bem distante
Lá adiante eu posso
Rodeando a flor de pedra
Galgando entre os espinhos
Ir ao topo do sol ardente
explodindo crisálida
desse amor que não deu em nada
mas foi por tua cara
que arrebentou meu coração
fragmentos de espelho
e esse teu corpo tão distante
bem distante, bem distante
despedaçou-se
Em toda a minha lágrima
Lágrima...



Cíntia Thomé

2010




Imagem Greg V. apartamento-cobertura/Sampa







Comentário delicado:

"...Uma borboleta que entra na mata de cimento e deixa suas cores em réstia de veludo. Amaciando a dureza! Embelezando o céu com seu voo delicado empregnando a natureza de vida e amor... Seu bater de asas solitária infesta de festa e alegria esse coração pulsante de amor..."




.

3 comentários:

  1. LiLa BoNi 10 de abril de 2010 20:39

    Perfeito...Cíntia...perfeito !!!
    Mil beijos !!!!

  2. Ianê Mello 24 de abril de 2010 00:30

    Lindo poema!

    Bjs.

  3. O NOVO POETA 1 de maio de 2010 11:44

    passando e desfrutando de um gostosa leitura querida amiga e admirada poetisa de alto quilate, abraçoss

BlogBlogs.Com.Br