Cyberpoesia

Posted: domingo, 16 de maio de 2010

 

Se de um dedo sai uma prosa

Da mão sai enciclopédia

Das mãos nasce um universo

Encerrado na poesia

 

Da língua escorre palavra

Que pinga sobre o teclado

Seiva corrente em fios

Estampa-se na tela vítrea

 

Faz-se poema eletrônico

Poesia cibernética

- palavra fora de moda –

Megabytica poesia

 

O cérebro eletrônico

-expressão mais velha que cibernética –

Não poesia sozinho

Carece de carne e sangue

2 comentários:

  1. Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . 10 de junho de 2010 19:25

    Gostaria de palavras fora de moda no meu viver...como amor...
    verbos querer, amar, admirar...

    bravo

  2. Bea - Compulsão Diária 11 de junho de 2010 06:22

    Gostei do verbo pesia...original, ousado.
    Às vezes acho que muito tempo no computador nos tira a carne e o sangue...mas é só impressão, por enquanto. ainda não tenho certeza.
    Será?

BlogBlogs.Com.Br