Espiral

Posted: sábado, 4 de julho de 2009
Espiral

Não existe caminho fora daqui
Mesmo que seja um espiral
Voltado para o umbigo

Volta-se em torno de si
Curvilinha bumerangue que só volta
Arremessada contra a própria
E em si se cruza
Bifurcação da mesma linha

Não há caminho dentro daqui
O externo é o interior e é o mesmo
Caixa cheia da própria caixa
Vazia da caixa mesma

A vida e a caixa
A vida pulsa na caixa
Os caminhos da vida
São a própria caixa
A duração da caixa é a vida
Simbiose abstrata

Não há caixa fora daqui
Encerrada na vida e na caixa
As soluções e os caminhos
Bifurcações que retornam à vida
Dentro da caixa
Cíclica e espiralada linha

A linha bumerangue
Rechicoteia nas paredes da vida
Cai no piso da caixa
Sobre as soluções catadas
Cacos juntinhos, mosaico
De vida, caminhos, vida e caixa

©Marcos Pontes

5 comentários:

  1. Cristiano Melo 5 de julho de 2009 09:35

    Marcos,
    a linha, o caminho, a caixa, o tempo, o umbigo, o ser humano e seu interior em relação ao exterior... A tal realidade é relativa, pra cada caixa uma realidade, pro umbigo iludido, a realidade endurece o ser. Há muito nesta espiral poética.
    A braços

  2. Joe_Brazuca 5 de julho de 2009 23:51

    o Mario Schemberg adoraria sua poesia...
    e vai ver, lá do outro lado da elipse da caixa sem lado
    que sai pra dentro
    e entra pra fora
    deve estar
    a vibrar
    nas ressonâncias
    das strings quanticas do coração do Divino Espírito Santo !

  3. Joe_Brazuca 5 de julho de 2009 23:54

    ah !...falei, falei e não disse o que qeuria :

    ...essa foi de perder o fôlego de medo !

  4. Bea - Compulsão Diária 6 de julho de 2009 11:23

    E dentro racha a delicadeza, o desejo de acertar o passo a passo de um destino mosaico.

    Poema estranho, o que é muito bom pra poesia porque o estranho é o familiar. Algo que ecoa e estava desconhecido.

  5. Jazinha 7 de julho de 2009 11:37

    Belo...Belíssimo...
    Saudações pantaneiras.
    Jazinha

BlogBlogs.Com.Br