Destroços

Posted: terça-feira, 16 de junho de 2009


©joe_brazuca- MMIX - sp/sp/br

9 comentários:

  1. Bea - Compulsão Diária 16 de junho de 2009 17:58

    Hey, Joe!
    Nossa ambivalência em relação a essa realidade distante ou tão próxima, que se por um lado dá a medida do eminente e sublime, por outro lado nos confunde e esmaga.
    A poesia preservada no seu poema. Vi nele um apelo profano (?) ao bem feito, ao bem construído. Maestro, regente, ouvido de músico não poderia ser diferente.

  2. Marcos Pontes 16 de junho de 2009 20:13

    Drástico, Joe, ainda mais com essa última foto. desnecessária, se me permite.

  3. Flor da palavra 16 de junho de 2009 21:45

    Olá!
    Desculpe a minha ausência!
    Beijos

  4. Anônimo 17 de junho de 2009 11:45

    Pontes !
    Permito, claro !...
    Tem razão...com esse efeito que coloquei, ficou parecendo uma criança !...e é uma boneca...tiro ou deixo ?...me de a dica...

    abraço

    Joe

  5. Anônimo 17 de junho de 2009 11:46

    Aliás, ja tirei...tem razão....não gostei tb...
    obrigado pela dica !

    Joe

  6. Poesia Aberta 18 de junho de 2009 19:37

    Pessoal !

    Tirei as fotos, e "aprontei uma arte"...rsrs ( de repente a poesia merece um esforcinho a mais...)
    acho que ficou melhor, né não ?
    um abraço

    Joe Brazuca

  7. Marcos Pontes 18 de junho de 2009 20:13

    adorei, Little Joe, ficou bem mais simpático e bonito.

  8. Joe_Brazuca 18 de junho de 2009 20:46

    Cd, cara Poetisa amiga !...vc sempre sentindo e interpretando além !
    Isso só me eleva...

    Pontes, caro amigo e mestre das letras !...sua dica vou ótima preu tirar a b...da cadeira e criar algo que prestasse...rsrs
    Valeu muito a dica !

    abraços

  9. Bea - Compulsão Diária 19 de junho de 2009 09:45

    Hey, Joe!
    Fez mais uma arte:=)
    Gosto desse poema. Gosto muito

BlogBlogs.Com.Br