ATRÁS DA RETINA

Posted: segunda-feira, 4 de maio de 2009


ATRÁS DA RETINA

Contemplar obras de arte
Correr museus e galerias
Assim um catálogo de A a Z
Dos momentos insanos
Do outro
Mas atrás da retina
Sua obra de Z a A,
Labirintos, pegadas, riscos
Cores contemporâneas
Fotos instantâneas
Da estória
autoria sua
Não vês ainda mistério
interior coração
sanguínea sangra
se é vermelho, incógnita
tão vazio, cego
atemporal
como todas as artes
artimanha
igual
de todo artista

cintia thome



Olhos de Folha Minha

.

5 comentários:

  1. Marcos Pontes 4 de maio de 2009 20:22

    As retinas não percebem tanto quanto uma coisinha escondida lá dentro, sabe-se lá onde, que treme, ferve, ebule quando os olhos miram o que agrada. Como essa sua arte. Bem vinda, Cintia.

  2. Compulsão Diária 4 de maio de 2009 20:38

    De A a Z de Z a A .De dentro dos labirintos vazios e vermelhos artimanham mistérios para cegos que vêem. Assim como eu vi! De A a Z de Z a A todas as suas artes. Autoria sua que todos vemos.

  3. glória 4 de maio de 2009 21:08

    a obra de arte é um lugar rizomático, sem centro definido, nem começo nem fim. de cores a serem decifradas, pontos cegos, tempos invertidos, misturados e do teu poema escorre arte. bj

  4. Alcinéa Cavalcante 4 de maio de 2009 23:13

    De A a Z ou de Z a A é pura poesia.

  5. Joe_Brazuca 5 de maio de 2009 13:22

    arte e manhas e manhãs...eis tudo que precisamos !...de A à Z

    beijo, Poetisa !

BlogBlogs.Com.Br